Google RankBrain: como o novo algorítimo do Google pode afetar seu SEO e resultados de busca

Rodrigo Neiva

O Google lançou ontem, dia 26 de outubro, seu novo algorítmo Google RankBrain que utiliza inteligência artificial para entregar os resultados de busca.

Bem que Marty McFly e o Professor Brown previram: o futuro chegou!

Você sabia que apenas 15% das buscas diárias do Google são novas?

Os outros 85% são buscas repetidas que os usuários fazem.

Analisando esses números o Google desenvolveu o novo RankBrain.

Está curioso para saber como ele funciona? Será que é revolucionador?

Nós estudamos o anúncio da Bloomberg e veja o que descobrimos:

O que é RankBrain

RankBrain é o nome do novo sistema de busca do Google que utiliza inteligência artificial e machine learning (maquinas aprendendo sozinhas) que ajuda a processar os resultados das buscas.

O que é machine learning?

É quando o computador ensina a si mesmo como fazer alguma coisa, ao invés de serem programados por humanos. Impressionante, né?

Saiba mais.

O que é inteligência artificial?

A inteligência artificial que estamos falando aqui, não é quando a inteligência de um computador pode ser equiparada à inteligência de um ser humano.

A inteligência artificial é usada para fazer referência à sistemas de computador que podem aprender e fazer novas conexões.

Saiba mais.

Qual a diferença entre machine learning e inteligência artificial?

No RankBrain, as definições ainda parecem ser bem similares. Você pode acabar ouvindo que machine learning é o tipo de inteligência de artificial que o RankBrain está utilizando.

Entenda mais.

RankBrain é a nova forma que o Google utiliza para indexar os resultados?

Não!

RankBrain é apenas mais uma parte do imenso algoritmo de busca do Google chamado Humminbird Search Algorithm.

O RankBrain é apenas mais uma engrenagem nesse motor de buscas.

Isso foi o que entendemos, pois o RankBrain não estará presente em todas as buscas, apenas em uma parte delas.

Veja algumas das outras engrenagens que compõem o motor de buscas do Google:

O que o RankBrain faz?

É usado principalmente para ajudar os motores de busca a interpretar as pesquisas por páginas que não contém exatamente as mesmas palavras da busca.

Mas isso já não acontecia antes?

Sim, há muito tempo o Google já identificava as buscas além dos termos exatos.

Então como o RankBrain ajudará a melhorar os resultados de busca?

Bom, o Google recebe cerca de 3 bilhões de buscas por dia!

A maioria dessas buscas são repetidas, mas os 15% de novas pesquisas diárias representam 450 milhões de buscas.

É um número imenso de novas informações sendo recebidas todos os dias.

Entre essas novas buscas, estão pesquisas complexas com diversas palavras. Esse tipo de consulta também é chamado de long-tail.

O RankBrain foi projetado para ajudar a interpretar melhor essas pesquisas entregando os melhores resultados de busca para o usuário.

Ele pode ver padrões entre pesquisas complexas, que aparentemente são desconexas, e entender qual é a semelhança entre elas.

O aprendizado, permite que o algoritmo possa compreender melhor futuras pesquisas complexas e se elas estão relacionadas a algum tema específico.

O RankBrain pode, então, associar os grupos de pesquisa com resultados que ele julga ser mais adequados para o usuário.

RankBrain é o terceiro fator mais importante das buscas no Google?

Isso mesmo.

O Google possui centenas de fatores para determinar a relevância e indexação de cada página.

O novo sistema RankBrain se tornou o terceiro maior fator de relevância para as buscas, de acordo com o artigo da Bloomberg:

“Nos poucos meses em que foi implantado, o RankBrain se tornou o terceiro fator mais importante de contribuição para os resultados de uma busca. Disse, Corrado.”

Veja um exemplo do RankBrain:

O artigo da Bloomberg utilizou um exemplo de busca que supostamente está sendo utilizado o RankBrain:

What’s the title of the consumer at the highest level of a food chain

A tradução dessa busca é:

“Qual é o título do consumidor no nível mais elevado da cadeia alimentar”

O termo “consumidor” pode ser uma referência para clientes ou alguém que compra alguma coisa.

Porém, em termos científicos, é algo que consome comida.

Há também níveis de consumidores em uma cadeia alimentar.

E qual é o consumidor de mais alto nível na cadeia alimentar?

O título dele é “predador”.

Quando essa busca é jogada no Google, os resultados são bons, mesmo com essa busca não específica:

RankBrain

Agora, veja como os resultados são parecido quando realizamos uma busca mais específica como:

“Nível superior da cadeia alimentar”

RankBrain

Imagine que o RankBrain está conectando a busca original e complexa, com essa segunda busca bem mais específica.

O algorítimo entende que elas são similares e como resultado, o Google pode aproveitar tudo o que sabe sobre a busca mais comum e específica para entregar ao usuário que realizou a busca complexa e incomum.

Deixando claro que isso é apenas um exemplo, não quer dizer que o Google realmente está conectando essas duas buscas.

É apenas uma forma de mostrar a ideia por trás do RankBrain.

Mais um exemplo:

Outro exemplo que o Google disponibilizou foi para a busca:

“How many tablespoons in a cup?”

A tradução dessa busca é:

Quantas colheres de sopa há em um copo?

O Google disse que os resultados são diferentes dependendo do país, por exemplo Estados Unidos e Austrália.

Isso acontece, porque as métricas de cada país são diferentes. Desse modo, a resposta é diferente para cada país, mesmo sendo a mesma pergunta.

O RankBrain realmente ajudará?

Mesmo com os dois exemplos acima não sendo tão revolucionários como você poderia estar imaginando. Muito provavelmente o RankBrain já está trazendo um grande impacto.

O Google é bem conservador ao alterar seus algorítimos de busca. Costuma lançar grandes mudanças apenas quando possuem muita confiança.

Portanto, como o RankBrain é supostamente o terceiro maior fator de contribuição nas buscas do Google, ele realmente deve estar ajudando bastante.

Quando começou a funcionar?

O lançamento foi gradual no início de 2015 e já está funcionando no mundo inteiro há alguns meses.

O Google ainda disse que uma grande parte das buscas estão sendo processadas pelo RankBrain. Mas não divulgou mais exemplos.

O RankBrain está sempre aprendendo?

O aprendizado do RankBrain é realizado offline. São utilizados dados de pesquisas antigas e ele aprende a fazer previsões dentro dos dados.

Essas previsões são testadas pelo algorítimo e caso os resultados sejam bons, o RankBrain online é atualizado. E assim, o ciclo se repete.

O RankBrain pode afetar meu SEO?

Os fatores de classificação e ranking do Google são normalmente alinhados aos conteúdos, como palavras chave, autoridade do domínio e uma outra série de Técnicas de SEO.

Esses fatores também podem estar conectados ao usuário, como por exemplo, onde esse usuário está localizado ou o histórico de buscas dele.

Então quando o Google inseriu o RankBrain como terceiro fator mais importante, isso poderá afetar o ranking das buscas?

A resposta é sim!

O Google reafirmou para o Search Engine Land, que há um componente onde o RankBrain está diretamente contribuindo de alguma forma no ranking das páginas.

Como exatamente ele irá afetar?

“Existe algum tipo de “nota do RankBrain” que pode afetar a qualidade?”

Talvez, mas pelo que parece, muito provavelmente o RankBrain está de alguma forma ajudando o Google a classificar melhor as páginas baseando no conteúdo delas.

RankBrain pode ser capaz de indicar melhor qual o tipo de conteúdo de cada página do que os outros algorítimos já existentes.

Mas isso é apenas uma suposição. O Google apenas disse que há um fator de classificação envolvido. Não especificou (ainda) qual ou como.

Conclusão

O Google está em constante evolução. O RankBrain é mais uma delas.

Você não deve ver essas mudanças como uma coisa ruim, pelo contrário, caso você esteja seguindo os passos que falamos no nosso blog e escrevendo conteúdos cada vez mais relevantes para seu público alvo, o novo código do Google provavelmente te ajudará.

O Inbound Marketing segue o mesmo princípio do Google:

“Entregar o conteúdo mais relevante para o usuário”.

Então, você não deve mudar a forma com que você está desenvolvendo sua estratégia, pelo contrário, deve tentar melhorar cada vez mais seus conteúdos e o Google vai te ajudar!

 

 

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar